Presidente da Anatel incentiva estados a aderir ao cadastro de celulares roubados

Brasília, 24/3/2017 - O presidente da Anatel, Juarez Quadros, enviou correspondência às Secretarias de Segurança Pública dos estados e do Distrito Federal, incentivando a adesão ao "Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (CEMI)". Com o sistema, um celular furtado ou roubado pode ser bloqueado diretamente pelas vítimas nas delegacias de polícia, quando fazem a ocorrência, sem a necessidade de que esses usuários entrem também em contato com as operadoras de telefonia.

O CEMI, disse o presidente da Anatel, é uma importante "iniciativa ao combate  de roubos de terminais móveis". Até o final de janeiro deste ano, o sistema permitiu o bloqueio de 7,8 milhões de aparelhos roubados ou furtados no País. Ele é operado pela ABRTelecom e já está disponível em todo o País. Antes do sistema começar a funcionar nos estados é feito um treinamento gratuito sobre o uso do mecanismo com as Secretaria de Segurança. E para que os órgãos de segurança possam acessar o CEMI é necessária também a assinatura de um termos de adesão.

Os policiais, para realizar um bloqueio de celulares, precisavam primeiro entrar em contato com cada uma das operadoras. Com o CEMI, uma etapa é suprimida, e  a atuação ficou muito mais ágil. Depois de receberem a denúncia dos usuários, as polícias registram quais foram os terminais roubados diretamente na base de dados das operadoras.

As vítimas não precisam mais ir até as empresas para que seus aparelhos sejam bloqueados, o que dá mais rapidez ao processo, ajudando a impedir que criminosos acessem e utilizem os dados das vítimas de forma indevida. A medida também vale para comerciantes, distribuidoras ou fabricantes de celular, que tiveram sua carga de aparelhos roubados, também podem usar o mesmo sistema.

Já adotaram o sistema o Departamento de Polícia Federal e as secretaria de segurança 12 estados - Rio de Janeiro, Espírito  Santo, e Minas Gerais, na região Sudeste; Roraima e Amazonas, no Norte; Bahia, Sergipe, Pernambuco e Ceará, no Nordeste, além do Mato Grosso e Goiás na região Centro-Oeste.

O sistema visa impedir o funcionamento destes celulares roubados em todas as prestadoras que atuam no Brasil e em outros países. A integração entre o CEMI  e o sistema da GSM Association permitiu também uma comunicação entre a base de celulares bloqueados no Brasil com a lista dos aparelhos impedidos em outros países. (Comunicação da Anatel)